Arquivo

Archive for julho \21\UTC 2014

COM RUBEM ALVES SERIA MAIS FANTÁSTICO

rubem-alves

A semana que passou foi, no mínimo, marcante para a sociedade brasileira. Em dias seguidos perdemos dois grandes nomes de nossa literatura, primeiro João Ubaldo Ribeiro na sexta e no sábado foi a vez de Rubem Alves.

As notícias já seriam tristes em própria essência, mas, ainda pioram devido a indiferença dos canais de televisão aberta diante delas.

Minha relação com a Rede Globo sempre foi inconstante, chegando próximo a bipolaridade. Na infância, era o canal que reinava absoluto na tv de casa. Perdia espaço apenas na hora do almoço, pois trocava de canal para assistir aos programas do Chaves e do Chapolin no SBT.

Já na adolescência, a relação ordeira passou para o outro extremo. A Globo se tornou a representação do diabo na terra. Revoltado contra o Sistema e, banhado por uma ingenuidade política, enxergava a emissora como o maior símbolo do capitalismo imperialista que empurrava o país ladeira abaixo.

Agora, nos tempos atuais, larguei mão de certas ideologias. Encaro a emissora como uma empresa de entretenimento e jornalismo que, como toda empresa, visa apenas seu lucro, fazendo o que for preciso para alcançá-lo. Inclusive manipular algumas informações, caso seja necessário. Hoje, o boicote adolescente acabou, assisto aos programas que me interessam e não acredito em tudo que eles falam. Tenho tv por assinatura em casa para fugir dos filmes dublados e acompanhar minhas séries favoritas.

Mas, o que tudo isso tem a ver com as mortes de João Ubaldo Ribeiro e Rubem Alves? Continue lendo

ENTRE GOSTOS E DESGOSTOS

pessoa chata

 

Ultimamente tenho percebido que “gostar” ou “não gostar” está cada vez mais evidente entre meu círculo de convivência. Parece que algumas pessoas se sentem na obrigação de opinar sobre qualquer coisa. Algumas vezes opinam até mesmo sobre um assunto pelo qual não se interessam, se prendendo ao menor fio de conhecimento para defender ideias que contradizem suas próprias atitudes.

Eu admiro pessoas idealistas e, desde a época escolar, sempre gostei de bons debates. Portanto, não critico esse comportamento apenas pelo fato de me incomodar com a opinião alheia. O que me espanta é a falta de conteúdo. A argumentação pobre e vazia que, muitas vezes, tem mais poder de agredir do que de convencer.

Minha cabeça é mais bagunçada do que minhas gavetas de roupas. Freud, para estudar a minha mente, precisaria da determinação de quem só tem mais uma vida para passar de fase no Candy Crush.  Meus pensamentos passeiam pelos mais distintos campos, conservadores, anárquicos, rebeldes, passivos, socialistas, neoliberais e por aí vai. Uma verdadeira salada de conceitos e convicções. Mas, tento manter uma lógica nas minhas opiniões, buscando o mínimo de coerência.

Percebi então que pessoas com mais afinidades em comum, geralmente, apresentam comportamentos semelhantes diante de determinadas situações. Portanto,  antes de formar uma opinião sobre determinado assunto, acredito seja de fundamental importância observar primeiro o que certas pessoas pensam sobre o tema. Daí então, faço a seguinte reflexão: Se a vida é uma escola, é com quem esta pessoa que quero trabalhar em grupo?

Continue lendo

Categorias:Crônicas Tags:,

FUGINDO DOS “ISMOS” DA VIDA

foto copa

Durante o período de Copas do Mundo, um fenômeno sempre acontece comigo: sou chamado de apatriota. No início, na copa de 2002, isso até que me incomodava bastante. Hoje, três copas depois, já não me afeta tanto e por isso me sinto à vontade para escrever sobre o assunto.

Primeiramente, acho interessante listar alguns aspectos antes de prosseguir com o texto:

  • Para mim, a seleção brasileira não representa o meu país e justamente por isso não carrega sua bandeira no uniforme, mas, o escudo da Confederação Brasileira de Futebol – CBF. E esta, está longe de me representar…
  • Vejo futebol apenas como entretenimento e sinto certa pena de quem o encara diferente disso.
  • Não misturo futebol com política.

Sendo assim, vamos lá. Como alguém que delira, chora, grita, toca cornetas e faz outras loucuras por um time que leva o escudo da CBF, pode questionar a situação política do país? Essa instituição não é corrupta? O que ela tem feito de bom para o país?

Até onde eu sei, o futebol nacional sobrevive por ajuda de equipamentos em uma UTI. O principal campeonato não consegue atrair público nos estádios. Grandes times comemoram a contratação de jogadores decadentes que não servem mais para o futebol europeu. Bom, não sou um especialista no assunto, porém, acredito que a Confederação não está exercendo bem o seu papel.  Continue lendo